Novo Datafolha: QG de Lula acha que voto útil ainda não veio; abstenção passa a preocupar time de Bolsonaro

  • 23/09/2022
(Foto: Reprodução)
Equipe do petista joga as fichas no eleitorado de Ciro, que segue com 7%, embora voto convicto no pedetista venha crescendo. Bolsonaristas temem desânimo e por isso focam em desacreditar as pesquisas. Lula e Bolsonaro Bruno Kelly/Reuters e Mauro Pimentel/AFP A equipe de campanha de Lula (PT) avalia que a oscilação positiva do candidato registrada pelo Datafolha nesta quinta-feira (22) veio dos eleitores indecisos, e não do cobiçado voto útil – composto por eleitores de outros candidatos, como Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB). Segundo o Datafolha, Lula tem 47% das intenções de voto no primeiro turno, 2 pontos percentuais a mais que os 45% registrados na pesquisa anterior, de 15 de setembro. A variação está dentro da margem de erro, que é de dois pontos. Bolsonaro se manteve com os mesmos 33%. Em relação a votos válidos (excluídos brancos e nulos), Lula tem 50%. Com esse percentual mais um voto, o petista levaria a eleição em primeiro turno, mas o Datafolha diz ainda não ser possível afirmar se a eleição será ou não decidida em 2 de outubro. Para tentar liquidar a fatura, a campanha de Lula deposita as esperanças no voto útil. O foco são os eleitores de Ciro Gomes, que está em terceiro na corrida eleitoral e segue estagnado em 7%. O Datafolha, entretanto, aponta que o percentual dos eleitores de Ciro que ainda admitem mudar o voto caiu de 64% em 18 agosto para 54% na pesquisa divulgada na quinta, segundo o jornal "Folha de S.Paulo". Já os que estão totalmente decididos saíram de 35% para 46%. Em relação à semana passada, não houve alterações significativas (os que podem mudar o voto eram 52% e os que estão totalmente decididos eram 48%) Já a campanha de Jair Bolsonaro (PL) começou a se preocupar com o risco de abstenção de que seus eleitores diante da consolidação de Lula à frente nas pesquisas (há um mês, o petista tinha os mesmos 47% e Bolsonaro, 32%) e da chance de uma inédita derrota do candidato à reeleição no primeiro turno. Como o blog adiantou, o presidente tem cobrado de seu QG de campanha uma bala de prata para conseguir reverter o cenário, mas não tem encontrado resposta positiva. Para a equipe, só é possível pensar num novo pacote de bondades caso o presidente vá para o segundo turno. Além disso, as atitudes do presidente – como repetir o termo "imbrochável", que usou durante o 7 de Setembro e repetiu na viagem a Nova York – têm jogado contra a diminuição de sua rejeição entre as mulheres, maioria do eleitorado e entre as quais Lula tem vantagem. Então, a estratégia seguirá ser desacreditar as pesquisas eleitorais, como têm feito abertamente o presidente e seus assessores – na segunda-feira (19), o ministro das Comunicações disse que a população vai pedir o fechamento do Ipec após a pesquisa divulgada naquele dia pelo instituto também apontar que Lula vem ampliando a vantagem numérica sobre Bolsonaro.

FONTE: https://g1.globo.com/politica/blog/andreia-sadi/post/2022/09/23/novo-datafolha-qg-de-lula-acha-que-voto-util-ainda-nao-veio-abstencao-passa-a-preocupar-time-de-bolsonaro.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Anunciantes